domingo, 1 de março de 2009

Inveja - Parte I

E ele morreu de inveja
Por El Negro


Pedro teve uma morte no mínimo estranha.
Nada de acidentes de carro, moto ou avião. Muito menos doenças raríssimas. Ele simplesmente morreu de inveja.
Exatamente isso que acabaste de ler, ele morreu de inveja.
Pedro, um invejoso de carteirinha, sempre arregalava os olhos para o que os outros tinham. Fossem bens materiais, aquela mulher que namorava o melhor amigo, a mãe carinhosa do vizinho, a faculdade do amigo, a piada soltada pelo garçom, a pizza do pizzaiolo, o macarrão da tia-avó e até a gorfada do primo após beber todas.
De tão invejoso, Pedro abandonou sua própria vida e passou a viver a dos outros. Frequentava os cursos do amigo, levava flores para a namorada do melhor amigo, fazia elogios para a comida da tia-avó e até pleiteava carinho da mãe de seu vizinho. Até começou a responder por outros nomes. Paulo, Anastácio, Carlos, João, Alfonso, Luiz, Oliveira, Gustaveson.
De tanta inveja, ele simplesmente abandonou a própria vida assumindo novos nomes, novos afazeres, novas determinações, novas namoradas, novas religiões, novas famílias, novas vidas.
E aparentemente do nada, Pedro faleceu.
A causa da morte fora revelada após uma biopsia minunciosa que declarou que o defunto morreu de "desfalecimento súbito por inexistencia de vida em massa corporea".
Explica o médico que devido ao excesso de inveja e necessidade de viver o que o outro tinha, Pedro acabou abandonando o próprio corpo ao relento.


---

“Inveja pra mim é algo com que não me preocupo...”
Por Dama de Cinzas

Inveja realmente é um tema muito difícil para eu escrever a respeito! Nunca senti que alguém realmente invejasse minha vida. Sempre fui uma pessoa que andou ao contrário de tudo. Nunca fui linda dessas belezas que toda mulher persegue, nunca tive os homens mais cobiçados, não sou rica. Então fico me perguntando que porra eu teria para que alguém pudesse me invejar... rs... Estou sendo franca: esse sentimento não faz muito sentido pra mim.
Dizer que senti inveja de alguém durante a minha vida? Acho que sim, mas nunca fui de parar pra secar a vida dos outros, apenas aquela coisa "en passant". Quando vejo uma gorda feia do lado de um homem lindo... rs... Ou quando vejo aquela mulher riquíssima entrando nas melhores lojas de Paris e comprando de tudo... ahahah... Mas é algo que não passa de alguns minutos e nem fica registrado em minha mente.
Agora eu fico mesmo P. da vida é quando um pessoal fudido, feio, pobre, burro, fica dizendo que sua vida não vai pra frente porque tem muita inveja os rodeando.... Ahhhh, faça-me o favor! Vai agir a vida! Tentar mudar o que tá errado, se esforçar pra melhorar e tenho certeza que o "olho gordo" dos outros não vai fazer taaaanto efeito assim!
Resumindo: inveja pra mim é algo com que não me preocupo...

---

Vocês pediram, vocês votaram!
E a
INVEJA é o assunto em pauta aqui no Mentes Discrepantes.
Na quarta-feira,
Autor e Quase Trinta dão o seu recado sobre o mesmo tema.
Enquanto isso, participe, comente, vote na enquete para o próximo tema.

9 comentários:

Desarranjo Sintético disse...

Olá gente! Bom acho que dos 4 autores, apenas o El Negro não me conhecia ainda! Sou o Fábio, do blog Desarranjo Sintético, muito prazer...Passei aqui para prestigiar vocês e gostei muito do que vi!

Gostei da proposta de vocês, acho que fazendo duas postagens curtas (2 autores)semanalmente não fica cansativo. Adorei o layout do blog, super clean!

Mas isso não é inveja não...ahahha!
Qaunto ao post, adorei o "conto" do El Negro, não poderia ter mais a ver com a vida real, muita gente que insiste em olhar o lado dos outros e cobiçar ao invés de tentar por esforços próprios melhorar o que tem.
Sobre o que a Dama disse, acho que que bom que ela não sente isso se ser invejada, eu pelo contrário já sinto meio o contrário, que mesmo eu não tendo grandes coisas e o que tenho ser conquistado com muito esforço e corrida atrás, ainda assim sinto que existe getne ignorante e mesquinha que invejam qualquer coisa dos outros por pura ignorância, sabe como é? Falta do que fazer e cuidar e cobiçar a vida alheia...Mas par quem tem olho gordo, sugiro colírio diet!

Abraços!
Fábio.

tdend disse...

Gostei da abordagem em formato de conto em vez de dissertação/opinião. Congrats.

Uma coisa que adoro observar: o número de pessoas que fazem parte daquelas comunidades do orkut: sua inveja faz a minha fama, sua inveja isso, eu sou o centro do mundo e blablabla. E o mais interessante: pelo menos a julgar pelo profile...não tem ninguém assim claramente invejável...vai entender.

Mauri Stern Boffil disse...

Pedro para a Dollhouse!

Daniel Savio disse...

Concordo, a inveja sempre vai existir, mas que ela vá nos dominar já é outros quinhentos...

Fique com Deus, menino El Negro e menina Dama das Cinzas.
Um abraço.

Syn (apses) disse...

Excelente metáfora El Negro. Representa muito bem o que deve ser a vida de um invejoso crônico.

E Dama, existe muita coisa que pode ser invejada SIM em vc. Inteligência, autenticidade, atitude e opinião são alvo de inveja, mas continue não se preocupando com isso...

Costumo dizer que inveja só faz mal pra dois tipos de pessoas: as que tem inveja e as que incomodam com a inveja alheia.

Abraço El Negro!
Bjão Dama!

Felipe disse...

Dama, você é foda! Pensamos extremamente igual! Fico indignado com quem chora demais, achando q a vida ta dificil e acha ser inveja quando na verdade não corre atrás de nada!

El Negro, conto hiper interessante. Uma visão poética desse sentimento baixo.

Cลroℓ disse...

Adorei!!
Adorei a estória do Pedro, que morreu de Inveja! Muito boa! Parabéns!
Bjos.

Escriba Eventual disse...

Este conto foi muito criativo e foi tbm direto ao ponto. Gostei bastante.

Dama, não se preocupar com a inveja é uma dádiva! rsrs

Mulherzinha Sim! disse...

Eu não acredito em macumba, mandiga, simpatia... Mas em inveja (olho gordo) acredito!

Não sou rica, não sou a perfeição em pessoa, mas já fui vítima da inveja alheia. Não vou alegar que isso "parou" a minha vida, mas atrapalha e incomada um pouco.

Quanto a mim, não me considero invejosa. Apenas vejo algumas coisas boas, admiro e tenho vontade se ter/ou ser daquela maneira. Mas tudo acontece de uma forma boa, não doentia em que eu fique secando alguém.