domingo, 15 de março de 2009

Amores Virtuais - Parte I

Do Virtual para o Real
Ahhhhhhhhhhhhhhh... milhões de suspiros aqui desse lado da tela.
Eu acredito em amores virtuais, porque foi assim que conheci a pessoa que faz meu coração bater mais forte até hoje.
Pra resumir a história: conheci o Autor através do blog que escrevia, passamos a conversar por msn e em uma dessas conversas ele me apresentou G.
Conversa vai, conversa vem, horas no msn, telefonemas ocasionais, sentimento de saudadades, afinidades e a distância entre São Paulo (onde moro) e Rio de Janeiro (onde G. morava) passou a ser pequena.
Ele me pediu em namoro pelo telefone, eu aceitei e só nos encontramos pessoalmente 3 meses depois, era véspera de ano novo e ele veio ficar uma semana em casa.
Hora de buscar ele na rodoviária, meu coração pulsava e um medo se apoderou de mim. E se ele não gostasse de mim pessoalmente? Pensei em desistir, mas já era tarde, depois de quase 5 horas de viagem ele chegou com um lindo sorriso no rosto ao me ver na rodoviária. Grudamos... e não nos desgrudamos mais por 3 anos seguidos.
Foi louco, intenso, apaixonante.
Do mundo virtual para o mundo real.
Durante a semana o namoro era virtual e em TODOS os finais de semana era real, ou eu estava no RJ ou ele vinha pra SP.
Depois dele os outros são os outros e só...rs
Mas conheci sim outros caras, só que dessa vez na sala de bate-papo. Passada a devida peneira e alguns dias ou até meses de conversa por msn, aquele que mais me agradava eu aceitava o convite pra sair.
Apenas um deles virou um namorico, nada sério, mas R. tinha o poder de alimentar meu ego.
Enfim, sou a favor dos romances virtuais desde que virtual seja o meio que se conheça a pessoa e isso passe para o mundo real.
Afinal namorar pelo computador ainda não dá!

---

Pequeno Histórico da Influência da Internet na Minha Vida Amorosa
Por Autor

A conheci em 2002, logo depois de passar no vestibular.
Uma sala de bate papo, ambos calouros da mesma universidade.
Afinidades mil, gostos parecidos. Horas e horas no ICQ.
Do virtual pro real e uma paixão avassaladora. Entretanto (sempre tem um entretanto), ela era noiva. Idas e vindas; dor, muita dor. Tempos depois a oportunidade de ficarmos juntos já que o casamento (que procedeu o noivado) não dera certo.
Perdeu a graça. Vida que segue.

Fins de 2004.
Orkut.
Irmão de uma amiga de um amigo. Cara de pau, adiciono. Ele aceita. Vamos pro MSN. Amigos.
Tempos depois o assunto sexo e as dúvidas sexuais dele.
Do virtual pro real. Do monitor pra cama. Das palavras para o sexo.
E pela primeira vez eu completamente apaixonado por um homem. Que não se aceitava e que apesar do tesão, não ‘podia' continuar comigo.
Sofro, sofro, sofro.
E muito tempo depois, foda-se ele! Eu mereço bem mais!

Início de 2008. Sala de bate papo.
Papo despretencioso e agradável, MSN trocado, algumas conversas, papo no telefone.
Do virtual pro real e conhecia assim o meu primeiro namorado, que mesmo depois que virou ex-namorado continua sendo um querido, um amigo.

Orkut.
Lista de amigos de um cara com quem eu já havia ficado.
E então eu o vi. Lindo, olhos verdes, jeito de menino, MSN disponível no perfil, nenhuma indicação de que ele era gay. Cara de pau, adicionei e cantei na lata. Ele riu da minha audácia, mas não me bloqueou.
Papos intermináveis, um almoço, uma amizade, um beijo, um namoro.
Hoje, sem sombra de dúvida, o amor da minha vida.

---

No próximo post conheça as opiniões de Dama de Cinza e El Negro sobre o assunto.
Vote também na enquete escolhendo sobre o que vamos escrever na próxima semana.

10 comentários:

Felipe disse...

Eu acredito, é a unica coisa que tenho a acrescentar ao post de vocês com a mesma opinião. Quer saber? Gente boa e gente má existe em qualquer mundo... real ou virtual. Tenho um post no meu blo, chamado Sobre Amores Adolescentes, quem quiser ler... A historia é real, agora onde eu a conheci? Adivinham...

Jan disse...

pra mim ambos traduziram muito bem os dois lados, como em todo relacionamento há prazeres e riscos.
Parabéns pelo ótimo tema.
Abraço

Christi... disse...

Muito bacana o post de vcs, ainda mais dando as duas versões, Adorei !

Tb acredito em amores que podem sim surgir de um meio virtual, mas pro real, que é a coisa bacana.

No virtual o interno sobresai, e depois se conecta. rs

Bjs,
Chris

Daniel Savio disse...

Olha, sinceramente, eu não tenho nem vivido uma amor real, imagina virtual...

Hua, kkk, ha, ha, brincadeira com um fundo (infeliz) de verdade.

Fique com Deus, menina e menino.
Um abraço.

Joyce disse...

amores virtuais que de virtuais nao tem nada!! eu tenho!

bjos

' Josi Keller disse...

Po.. gostei do seu blog
Vou ta aki sempre rsrs
Visita o meu ?
http://josikeller.blogspot.com/2009/03/daquilo-que-nunca-pensei-que-ela.html
Abraçoo

.

Mr. T disse...

Já vi muita coisa começar e (infelizmente) acabar por causa da internet...

Sempre uma faca de dois gumes...

Quero escrever um texto sobre isso tb!

Lis disse...

Nunca vivi um amor virtual...mas admiro quem tem a coragem de enfrentar os medos e arrisca a ter um amor virtual que pode virar real...Achei super interessante o relato do Autor que pegou o msn,add e foi atrás da felicidade...As vezes a gente está sozinho por falta de iniciativa,não é? Ficar olhando a vida passar não dá rsrsrs
Bjus e até mais

Pintura em Camisetas disse...

Olá!
Vim lhe convidar para que conheça um pouco do meu trabalho de pintura em camisetas!
Até

http://ramasppfp.sites.uol.com.br/pinturaemcamisetas.htm
http://ramasppfp.sites.uol.com.br/modelos.htm

Mulherzinha Sim! disse...

Nossa, que história louca a da Dama. Fiquei imaginando a cena...

Bom, nunca tive um amor virtual. Sei lá, não tenho muita paciência para conversas longas com quem não conheço pessoalmente. Além disso, confesso que tenho um certo preconceito em achar que pessoas interessantes não vão buscar online parceiros para relacionamentos.

Enfim... Agora uma amiga minha é fã deste método. Já namorou e saiu com vários carinhas que conheceu em bate-papo, par perfeito, Orkut...