quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Homossexualidade - Parte II

Eu, Gay!
Por Autor

Eu sou gay!
Nasci assim e não escolhi ser gay. Logo, tenho orientação sexual e não opção.
Certamente, se pudesse escolher, optaria pelo caminho mais difícil, mais tortuoso, mais cheios de obstáculos e preconceitos? Sinceramente, acho que seria com a maioria, afinal, ser igual é um desejo natural do ser humano, que busca pela aceitação.
Demorou para eu me aceitar como sou. Desde a adolescência eu sabia que não era igual aos meus demais amigos, já que olhava para as meninas, mas também me interessava pelos meninos. Achava-os bonitos e me sentia atraído sexualmente por eles. E reprimia isso, afinal, era errado!

Homem que deita com homem vai morrer e não ter a aprovação de Deus!
–diziam na Igreja.
Olha aquela menina! Tem de fazer e acontecer! –diziam os amigos.

Aliás, nessa idade, todo mundo diz que faz e acontece. Coisa de adolescente, claro, mas eu me sentia o errado, o torto, o imperfeito.
E, tentando me adequar, sufoquei o meu desejo e me forcei a sair com meninas, a ficar com elas, a transar com elas.
Cheguei a namorar, a noivar, a pensar em casamento.
Mas me sentia sujo, hipócrita, enganando uma menina que fazia tudo por mim.
E quando tive a chance, com ela me chamando pra conversar porque achava que eu não estava feliz, dei meu grito de liberdade, de independência. Fiquei solteiro. Sem maiores explicações, apenas fui sincero na medida do possível e disse que não estava feliz.
Foi quando passei a me conhecer melhor, a dar vazão aos meus desejos sem culpas.
Fiz amigos gays, fui a baladas gays, vi o mundo gay de perto.
É um mundo promíscuo? Sim, existe promiscuidade, assim como há no meio hetero. Com a diferença de que é tudo muito mais aberto e visível. Não existe uma necessidade de parecer ‘certo’ para os outros, afinal, ser gay em si já é considerado ‘errado’.
Existe preconceito? Claro, a sociedade é hipócrita! Eu mesmo não tenho coragem de anunciar aos quatro ventos que sou gay. Mas o fiz aos amigos mais chegados e que considerava mais importantes e, para minha surpresa, fui super bem aceito e ainda por cima hoje posso dizer que somos mais amigos do que éramos antes disso, quando eu vivia uma vida dupla, cheia de mentiras.
Futilidades? Aos montes!
Busca do corpo perfeito? Sempre!
Mas, tô pra conhecer pessoa mais feliz do que um gay que se aceita. Deixo bem claro: não que é aceito pela sociedade, mas por si mesmo.
Gays tem ótimo senso de humor, sabem de rir de si mesmos e dos outros. Vivem a vida intensamente, como se cada dia fosse o último. Normalmente são cultos e inteligentes e, via de regra, bem sucedidos.
Mas também, muitas vezes, sofrem mais. Principalmente quando não aceitam a si mesmos.
Sou mais feliz por ser gay? Seria mais feliz se fosse hetero?
Sou feliz porque vivo a vida intensamente, da forma como ela se apresentou para mim.
Os rótulos, principalmente o certo e o errado de uma sociedade hipócrita, deixo pra lá.
E vou vivendo. Intensamente.
Gay. E feliz!

---

Quebrando o Preconceito
Por El Negro

Minha relação com o mundo gay é pífia, isso para não dizer outra coisa.
Não tenho amigos gays, ou pelo menos nenhum que se revelou publicamente.
O total desconhecimento faria da opinião de um hetero, como eu,
um mero desfile de preconceitos.
Meu círculo de amizades é direto com relação aos homossexuais:
“não temos nada contra desde que uma distância segura seja mantida”.
Um mero preconceito de machões sem causa e que querem manter sua opção sexual longe de dúvidas. Pura bobagem.

Tenho raízes na igreja católica, sou formado em engenharia e hoje faço administração. Esse é um pequeno exemplo do pouco, ou nenhum, contato que tenho com o mundo gay.
Mas, seguindo o conselho de Amyr Klink, irei fugir do desfile de preconceitos daquilo que desconheço e irei colocar um pouco da minha visão deste mundo, que para mim é tão desconhecido.
Vejo que apesar de repúdio e preconceito da sociedade de um modo geral, os homossexuais vem conquistanto pouco a pouco seu espaço. Em São Paulo, por exemplo, eles e elas são muito mais do que o dia em que desfilam na Avenida Paulista na famosa Parada Gay.
Hoje eles já conquistam espaços em bairros de São Paulo como a Bela Vista e Jardins. A maioria dos espetáculos dedicam um dia aos homossexuais, isso aconteceu com o “Fuerza Bruta” e também em determinados dias no parque temático “Hoppi Hari”, entre outros. Baladas e bares GLS espalham-se por São Paulo, e cada vez mais movimentados.
Obviamente é pouco para uma sociedade que prevê na constiuição a igualdade entre todos, ou também para os fiéis defensores dos ideais da revolução francesa.
Mas é evidente que pouco a pouco esse exigente público conquiste seus espaços e tenha mais liberdade para ser tratado como um cidadão.
Certo é que muitos empresários enxergam o público gay como potenciais clientes e não querem perdê-lo.
Quem sabe essa não seja a porta de entrada para que a sociedade enxergue os homossexuais como pessoas comuns e que a opção sexual não denigre ou muda o caráter de qualquer pessoa.

---

Voltamos no domingo, com um novo assunto a ser discutido por nós.
Qual o assunto?
A votação segue até quinta-feira na enquete do canto superior direito aqui do blog.
Votem à vontade!
Até lá!

32 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Olha!
os meninos me surpreendera, tanto quando as meninas.
Parabéns aos dois.
Não apenas pelos textos, mas pelo respeito que vemos aqui, duas pessoas com opniões e opções distintas, mas em alto nivel, com respeito que precisamos levar muito mais para essa vida do lado de cá da tela.
O respeito na vida real.
Seja quais forem nossas opções, cabem a nós a escolha dos nossos caminhos.
Bjos aos dois (aos quatro)

Serginho Tavares disse...

O mundo gay tem muitos preconceitos justamente por isso porque o colocam dentro de um mundo a parte.
Guetos são perigosos.
quando os gays saírem de lá talvez as coisas mudem mas o pior gueto está dentro da pessoa e isso fica difícil de tirar de dentro de pessoas tão ignorantes...

... disse...

Parabéns pela forma clara com que se posicionaram.
Uma coisa eu posso dizer, tenho amigos gays e heteros e o que vale mesmo nos amigos e nas pessoas é o fato de elas serem humanas.
Nunca fui muito de acreditar na humanidade, mas as coisas mudam e hj acredito, seja em meninos, meninas, meninos que gostam de meninos, ou meninas que gostam e meninas... E volto a insistir que o que vale é ser gente acima de qualquer rótulo...
Grande abraço pra todas as mentes discrepantes do blog...
Glaucia

Crazy Bitch disse...

Concordo em gênero número e grau. E também sou feliz. Depois passa no meu blog. Tem post de felicidade lá também. bjunda

Andréia disse...

oie! ótimos postagens! notei que os gays estão saindo cada vez mais dos armarios..alguns anos atrás era quase impossivel vc sair na rua e ver um casal homosexual de mãos dadas ou até se pegando na frente dos outros e hj em dia é bem mais comum...em são paulo é quase impossivel sair e não ver nenhum...rs isso é ótimo! n tem nada pior do q n ter liberdade para ser quem você é..

Sobre a promiscuidade... eu ja fui numa balada GLS (the Week) e sai de lá sem a menor vontade de voltar... não porque eram gays mas sim porque eram mais promiscos (para não falar outra coisa) do que os filmes do CineMax e não vejo a menor necessidade de agir daquela forma em publico, fui em baladas "heteras" dos meus 14 aos 19 anos e nunca vi nada igual... não estou dizendo que devem mudar mas acho que quem se sente no direito de ser tão livre e aberto não deveria ter o menor interesse em ser aceito por um sociedade tão fechada e moralista... (n estou falando em termos de leis e sim de aceitação)


beijos

Giselle disse...

Ser gay ou hetero não importa o que importa é ser feliz, como vcs mesmo diseeram no texto vivemos numa sociedade hipócrita infelizmente, vivemo em uma sociedade que mte manina de nos rotulat em tudo quanto é coisa, mas não é a sociedade que nos faz feliz e sim nós ...
Abaixo a hipocrisia,
Avante a felicidade ...
Beijos e ótima semana

Edu e Mau disse...

Parabéns aos "colunistas" todos pelos posicionamentos. São visões pessoais e portanto merecem igual respeito. Apenas os convidaria a tentar ver que a imensa maioria dos gays (infelizmente os mais "invisíveis") não está a procura do corpo perfeito. Frequenta igrejas e muitos tem registro no CRA (Conselho Regional de Administração). Não quero com isso dizer que devem desconfiar de tudo e de todos, a partir de agora. Apenas se acostumarem com a ideia de que o comportamento sexual (hétero ou homo) não está incondicionalmente ligado ao comportamento social. E nem é por causa de preconceito ou medo: simplesmente tem gente que gosta do mesmo sexo mas não curte futilidades, moda, puxar ferro, usar purpurina e isso não tem nada de errado ou de mais assim como não tem para quem gosta. O grande mal do ser humano é SEMPRE tentar classificar e encaixotar as pessoas. É preciso o esforço em manter a mente e o coração sempre abertos!

sribeiro disse...

O final do texto do menino (sorry, não sei o nome e se fechar a caixa de comentários pra ler, desisto de comentar. Preguiçosa mesmo.) foi excelente...infelizmente, numa sociedade de consumo como a nossa, o poder aquisitivo de um grupo específico faz toda a diferença na questão da aceitação. Acho que rola uma coisa do tipo "vamos ter que engolir". Acontece com outros grupos discriminados tbm. Não é o ideal, mas certamente é melhor do que nada.

Autor...vc não disse que há gays pobres e feios tbm??? (eu tinha que implicar...fala sério, além de poucos heteros nesse mundo, os gays ainda são, via de regra, belos e bem sucedidos? Assim eu me jogo do 25º andar!!!!! rs

Babi disse...

É engraçado isso. Me identifico MUITO com o que o Autor disse. Os gays são felizes, bem sucedidos, inteligentes. E o são não porque são gays, porque se realizam sexualmente com pessoas do mesmo sexo. Acontece que para quebrar as correntes do moralismo, do certo e errado que aprendemos desde sempre, é necessário pensar. É preciso refletir, questionar, responder. E isso faz com que a pessoa cresça, se desenvolva e conheça cada vez mais gente, mais formas de ver a vida e que tenha cada vez mais perguntas sobre tudo.
Não sou gay, mas sei o quanto dói quando passamos a nos questionar. Quando passamos a perguntar o motivo de sermos desse jeito, e não de outro. A maior parte das pessoas nem pensa sobre o que é: apenas vive a vida “feliz” para qual foi pré-programada. Pensar é mais difícil. Refletir nos obriga a buscar novas saídas, novas opções para sermos felizes e essas novas opções, que geralmente sufocamos lá no fundo, de modo que nem nos lembremos delas, requerem mudanças, transformações – e é aí que dói. Dói termos que admitir para nós mesmos que vivemos e contamos a mentira da nossa vida com orgulho durante todo o tempo. E só dói porque fomos programados para seguir o modelo de normalidade que alguém estabeleceu.
Todo mundo se reprime, se encolhe, faz tudo para não ser apontado na rua, para não ser citado como diferente.
...
É por isso que eu sofro tanto, desde sempre. É por isso que dói tanto pensar no que eu quero, desde sempre. Fugir sempre será mais fácil...

Mauri Stern Boffil disse...

to votando...
e o preconceito que os gays tem contra si mesmos? aha
abração

Maria Dias disse...

Olá...

Passando para conhece-los e daqui já percebo o papo aqui é do tipo olho no olho não? Bem... Tenho a dizer q sou alguém totalmente livre de pré conceitos então se vcs não se importarem, vou estar por aqui pra conversarmos mais e quem sabe, entrar nos debates e tb aprender mais sobre este mundo gay q carrega uma carga imensa de preconceito.Quero ler o que vcs têm a dizer!Agora sou eu quem puxo meu puff!rs...Ah se nao se importarem estarei linkando vcs para voltar com mais freqüência.

Vida longa ao blog!

Abraços

Maria

Maria Dias disse...

Agora entendi direito o blog de vcs(ao menos acho q sim!rs...)Bem, me parece q vcs terão sempre um assunto diferente para tratar!Achei muito boa idéia.Assuntos q estão bem na nossa cara e a nossa sociedade acaba por esconder o problema embaixo do tapete.Como este ultimo por exemplo.GOSTEI e voltarei.rs...

Mulherzinha Sim! disse...

O texto que mais me identifiquei foi do de Quase Trinta porque procuro não analisar a orientação sexual dos meus amigos. Apenas os aceito pelo que são, pelo caráter.

Quando passei a conhecer mais o mungo gay, achei um pouco estranho. Mas, depois, vi que aquelas pessoas não faziam mal nenhum a terceiros; apenas queriam ser felizes a sua maneira.

Sobre essa parte que El Negro escreveu: "Tenho raízes na igreja católica, sou formado em engenharia e hoje faço administração. Esse é um pequeno exemplo do pouco, ou nenhum, contato que tenho com o mundo gay"... Não quer dizer nada, pois há gays em todos os lugares e profissões. Sobretudo, os que ainda não tiveram coragem de sair do armário.

VINCENZO GONZAGA disse...

simplesmete amei este espaço para debates.
preconceito contra os gays sempre irá existir. Já conheci países onde a homossexualidade tem todos os direitos e garantias, porém continuam sendo alvo de piadas e chacotas.
a comundiade gay é que tem que mudar um pouco. Impor um pouco de respeito, porém há pessoas no mundo que sempre serão ignorantes e nunca entenderam que ser gay é ser normal.
HOje em dia nao há mais desculpa para continuar dentro do armário, ou se isolar dos heterossexuais. O mundo não é perfeito para os gays como, também, não é perfeito para os heteros.

e asim a vida continua.

Sarah S disse...

Bom, adorei.
Não tenho qualquer preconceito, mas convivo com preconceituosos, respeito a opinião deles, mas cada um é cada um, realmente o importante é ser feliz.

Katielle disse...

Ola,
Muito boa a proposta do blog, estarei sempre acompanhando...
Bom ver pessoas com pensamentos tão distintos discutindo de maneira civilizada sobre assuntos polemicos...

Bem, sobre o assunto que abordaram:
Eu sou totalmente a favor do homossexualismo...
De certa forma nunca fui contra nem quando criançaa, nunca achei nada estranho...
Mas quando adiquiri idade pra entender melhor no mesmo momento fui a favor e queria muito ter amigos e amigas "gays" e com o tempo surgio uma curiosidade em experimetar......

E foi nisso que conheci ótimas pessoas, mesmo que desavenças tenham me afastado delas, e também foi com essa minha mente e coração sempre abertos que me descobri bissexual...



http://fortalezadevidro.blogspot.com/

lpzinho disse...

Nó... MUITO bons os textooos!!!
Realmente eu adoro este assunto e já tinh adorado a Dama e a Q30 escrevendo... caramba!
Tb não tenho amizade com gays(ao menos q eu saiba), e conhecí pouquíssimos ao longo da vida. Mas acho que em nada isso mudaria a forma de tratar uma amiga ou amigo. Parabéns pelas palavras de ambos!! Há mto o que aprender nas palavras aqui escritas!
Beijos e abraços!! ^^

Dadox disse...

Lendo todos os posts, confesso que fui tb a The Week/SP enquanto estive no mês de dezembro para o show da Madonna. Fiquei atordoado com o universo que para mim era paralelo, onde grupos se destacavam dentro da boate. Perto do banheiro estavam os "addicts" e caçadores, no sentido oposto,corpos "chiseled" e caçadores, as chamadas barbies. No meio, estavam o grupo entre curtir o som, achar um mixê, tomar uma bala. na parte de trás, estavam os menos providos de beleza, bem como toda a pista 2, mais liberais e todos com o instinto "hunter" no sangue. Na área da piscina, os mais velhos com seus "boyzinhos". Realmente, deplorável. Espero não mais voltar lá! Me senti um completo lixo naquele lugar! O cheiro de drogas e sexo. Porém, vale salientar que o lugar é extremamente confortável (instalações).

Carpe diem

Dadox

du disse...

.concordo com o autor, no final das contas, independende do que goste ou viva, o importante é ser feliz do jeito que é.

.pessoas que vivem contra suas vontades e desejos parecem travar mais batalhas para esconderem suas verdades (além de todas aquelas já existentes na vida, tão complicadas!)

.abraço.;

Syn (apses) disse...

Adorei os textos. Meninos e Meninas estão indo muito bem mesmo por aqui!

Comentário pertinente: existem homossexuais de todos os tipos, de todas as qualidade, de todos os defeitos, de todas as mentalidades, etc., inclusive os caretas, os mau-humorados, os "burros" e os mal-sucedidos... acho sempre muito perigoso enfiar estereótipos em qualquer "classe". Mas pelo contexto gerado, tá valendo amigo Autor!

Excelente discursso tb El Negro. Vc tem o tipo de opinião na qual eu adoraria que a maioria dos homofóbicos acreditassem. E seu parágrafo final fica como um alerta ao público gay: vamos aproveitar essa porta aberta? É um caminho seguro?

Parabéns novamente aos 4!
Abraços!!!

Fê Colcerniani Justo disse...

Nossa, muito bons os textos...
Eu na faculdade conheci muitos gays e adorava! Pessoas amigas, com um senso de humor perfeito! Sinti falta deles... Adorei o blog
Bjs

Cลroℓ disse...

Muito bom ler sobre um assunto sobre pontos de vista diferentes!
Ótimo a idéia do Blog!
Já votei pro próximo assunto, e volto pra acompanhar os textos!
Bjos!

Daniel Savio disse...

Acho mesmo hipocrisia da sociedade, pois as pessoas homossexuais também são felizes e nós não temos o direito em dizer o que é errado (ou certo) para elas...

Por que a gente não se preocupa em colocar um politico corrupto na cadeira, colocar uma criança num bom lar, ou n-coisas mais?

Mas não, temos de nos preocupar em azucrinar alguém que quer ser feliz.

Mas um dia a gente muda essa sociedade "sem cerebro" que temos.

Fique com Deus, quatro mentes discrepantes.
Um abraço.

Pelos caminhos da vida. disse...

O que admiro num ser humano é a sua sinceridade e vc tem de sobra.
A vida é sua,viva ela da melhor maneira possível,vc tem o direito de ir e vir,portanto nem esquente com pessoas preconceituosas,não vou excluir vc por ser um gay,pode ter certeza disso,pois vc é um ser humano como eu,vc é livre pra fazer sua escolha,viva,seja feliz,e realmente esses são mais que amigos pra vc.

Já opinei lá sobre o assunto do próximo texto.

Fica desde já convidado pra conhecer o meu espaço.

Um gde abraço.

beijooo.

Diógenes de Souza disse...

Não sei pq as pessoas inisitemn em tentar rotular certas coisas. Ecistem todos os tipos em todos os lugares. Talvez por isso haja tanto preconceito, de todas as formas. Discordo quando falam de boates gays promiscuas. Há boates e boates, para todos os públicos. Este é o fator determinante para que tal lugar carregue tal estigma. Assim como nem todos os bails funks só promovem sexo e drogas, nem todas as noates gays promovem promiscuidade. O texto é muito bom. A idéia do blog é ótima.

Adorei.
desejo sucesso a todos!

Pelos caminhos da vida. disse...

Voltei!

Tem selinho la pra vcs.

Fim de semana de luz.

beijooo.

Lis disse...

Todos querem ser aceitos,aplaudidos de uma forma ou de outra.Deve ser muito dificil se esconder ou até mesmo mentir para se mesmo e para os outros sobre sua identidade sexual ou orientação sexual.Não há paz.Eu entendi,talvez o Autor possa responder com mais propriedade,que hoje ele é feliz por não precisar viver uma fachada,por se aceitar,por ser ele mesmo,gostando ou não de homens,por ter a liberdade e a coragem de utilizar o poder da escolha.Quando se fala de promiscuidade no meio gay ou no hetero eu me pergunto o que leva uma pessoa a buscar o sexo como válvula de escape?O que está lhe faltando ou o que ela procura ao curtir a vida adoidado?Porque as coisas na vida nunca são preto e branco!Nem todos os gays estão a procura desenfreada por uma falsa satisfação,culto ao corpo...acredito que temos que ser mais conscientes dos rótulos como: todo homem sensivel é gay!!Existem muitos brucutus que gostam de homens rsrsrs.Adorei os textos e já votei no próximo tema!!

rosa disse...

Com 14 anos meu pai que viajava muito me colocou para morar em uma republica com mais 10 pessoas adultas, a minha melhor amiga era lesbica (30anos na época) e atrvés dela pude conhecer a sua namorada e o melhor amigo delas o Marcos que é gay. Nas minhas horas mais díficeis eles estavam lá para me apoiar, eramos um quarteto fantastico, morro de saudades desta época.

Abraços Rosa

Shi disse...

Eu coheço um gay que além de tudo é muito FELADAPUTA, pq não me contou que tinha aberto esse espaço maravilhoooooooooso! Ainda mais junto com La Dama de Cinzas, mulher que definitivamente tá no meu rol de doidas admiráveis... rs. Os outros dois eu ainda não conhecia, mas vieram e disseram a que vieram, gostei muito e vou procurar conhecê-los melhor!
Depois da babada de ovo, sobre o tema: gay é GENTE, e isso é o que importa - são pessoas com defeitos e qualidades, como todo mundo. Não classifico a homossexualidade como normal ou anormal, pq não sou eu quem define isso. O que eu sei é que eu ADORO o Autor, ele pode namorar até com uma árvore (na Índia pode, viu a novela? rs), com um bode, um Saci-Pererê, contanto que ele seja FELIZ!
Tenho dito!
Bjos aos 4 (uuuuuuuuui! :-P)!

Tathiana disse...

Gostei. Especialmente do texto do Autor. Porque importante é procurar a felicidade; desde que não estejamos prejudicando ninguém tá valendo! rs.
Beijos.

O Pequeno Diabo disse...

eu faço engenharia e sou gay

mngm esta num ambiente livre do homossexualismo

eh algo q existe ao noso redor
as pessoas soh naum assumem, como eu

vc deve ter mais amigos gays do q imagina
xx

Naja disse...

Olá!

Antes de mais, peço-te que pares um pouco antes de ler o resto que gostava de partilhares e saibas:

ESTE NÃO É UM POST DE CARACTER OFENSIVO, QUE TE REJEITA... É APENAS UM CONTRIBUTO!

De cada vez que ouço falar de homossexualidade, de opções, tendencias, comportamentos gays, parece que estou a ouvir falar de enjeitados, de pessoas limitadas... "os gays são pessoas inteligentes..."; "os paraplégicos, os autistas, os maniaco-depressivos são pessoas inteligentes"...

Os gays a meu ver, são pessoas. Ponto. São burros, inteligentes, perpicazes, ladrões, sérios, altruistas, conservadores, e tudo o resto que as pessoas são.

Vivo num país pequeno, como deduzes pelo meu prtuguês "arcaico". Aqui as pessoas rotulam-se também. Tenho amigos gays, aliás, todos os meus amigos são pessoas (à excepção de dois gatos qu co-habitam cá em casa e que as vezes me apetece mata-los, mesmo sendo amigos).

Não creio que o ser humano seja totalmente homosexual ou heterosexual.

Por "tendência" chamam-me heterosexual. Vivo com um homem, tenho prazer com ele e nunca beijei uma mulher e não foi por falta de oportunidades. Simplesmente, na hora H não bateu a tesão.

Mas sabes que mais? Ontem tive um orgasmo, enquanto sonhava, com uma mulher...

Friso: somos todos pessoas!

Apreciei muito estes vossos depoimentos, lutando por uma causa!

Mas não seria ela desnecessária, se o mundo ao invés de ser dividido por opções sexuais, fosse marginalizado por ser dividido por burros e "espertos"??

É que para mim, a burrice é opcional. Todos podem mudar, ao invés das hormonas. do x e do y.

Estarei errada? Boa sorte!!!!

Um beijinho