domingo, 7 de junho de 2009

Segredos - Parte I

O Esqueleto No Armário
Por Autor

Quem nunca guardou um segredo, uma informação só sua, seu maior orgulho ou maior medo?
Durante um pouco mais de duas décadas eu escondia até de mim mesmo que gostava de homens. O meu segredo mais bem guardado e oculto, até de mim mesmo. Principalmente porque não aceitava isso, não queria ser diferente de ninguém. Era o meu esqueleto do armário.
Hoje, olhando para trás, vejo como era bobo. Eu nasci assim, eu sou assim, eu sou feliz assim. Pelo menos, para mim, não é mais segredo, sou gay.
Para os outros, é outra história. Não é que seja segredo guardado à sete chaves, mas não é assunto que eu aborde com naturalidade. Diz respeito a mim, somente a mim e a mais ninguém. Então, por isso mesmo, eu conto pra quem eu acho que devo ou para quem tenho vontade.
E cada um tem o seu esqueleto dentro do armário, seu segredo inconfessável. Aquela traição num momento de tesão descontrolado; o filho ilegítimo que nem desconfiam que não seja do pai; a verdadeira cor castanho por baixo dos cabelos loiros; o fato de já ter pesado 200 kgs antes da redução de estômago. Segredos seus, que interessam a você. Mas que todo mundo morre de vontade de descobrir.
Mas, para mim, esqueletos são para serem deixados onde devem. Se seu lugar é dentro do armário, que fiquem por lá!
O problema é quando alguém descobre a chave que abre a porta desse armário e o pobre esqueleto é exposto, o dono do esqueleto fica ali, vulnerável, perdido.
Portanto, se você tem um esqueleto no armário, deixe ele lá. Pois, como bem dizia minha avó, segredo de duas pessoas não é mais segredo!

---

Meus Próprios Segredos
Por Pimenta

É, eu tenho segredos.
Escondidos dentro de mim, como um tesouro, tão preciosos, que posso perdê-los para nunca mais, se apenas um sussurro sobre isso escapar por entre meus lábios.
Guardo-os só para mim, pois eles tem vida.
Uma vida escondida do mundo.
Mas ativa, plena e poderosa.
Num recanto de minha vida onde posso tudo
Onde tudo foi possível, permitido.
Sei que agora você sente que eu posso te contar.
Sim, eu posso, sempre pude.
Mas não vou.
Agora, tenho certeza, todas as sombras da dúvida estão passando por sua cabeça.
Pode ser isso, pode ser aquilo,e é bem provável que você suspeite, tenha uma idéia do que pode ser.
Mas não vai saber nunca.
Se há uma coisa que somente eu domino, são os meus segredos.
Shhhhhhhhh.
Não pergunte mais nada, nem a mim, nem à você mesmo.


---

Vocês queriam saber nossos segredos e eles estão aí. Para quem quiser ler!
Somos como livros abertos para vocês!
E agora queremos é responder a perguntas.
Como assim?
Sobre que pergunta da enquete vocês querem ver a gente escrevendo?
Votem!

4 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Todos nós temos um segredo que não queremos que o pessoal fique sabendo. Talvez só os bem mais íntimos. É aquela coisa que nos machuca mesmo lá dentro do armário... A vida é assim!

Beijocas

Estampado disse...

Sim.Todos temo segredos.
O meu esqueleto ainda está dentro do armário e não pretendo tirá-lo.
Abraços

Andréa. disse...

Não deixem acumular demais... de vez em quando é bom dar uma olhada pra saber se ele ainda precisa ser mantido no armário.

o Cheff disse...

Legal, no primeiro segredo II lembrei de algo que escrevi sobre preconceitos:

http://degustandomemorias.blogspot.com/2009/04/preconceitos.html