domingo, 10 de maio de 2009

"...e tudo termina exatamente como começou..." Parte I


Rotina
 
Levantou-se da cama e ficou admirando o outro corpo nu, adormecido sobre os lençóis de algodão. Colocou os óculos, ajeitou o cabelo e pensou:
-Putaqueopariu! Por que eu sempre me arrependo no dia seguinte de pegar esses jaburus? Maldita cerveja!
Foi até o banheiro, tomou um banho e só desejava que quando voltasse ao quarto ele já não estivesse mais lá. Mas não, as pessoas não são práticas; pelo contrário, são muito óbvias.
-A água estava boa, gostosão? Eu queria tomar um banho antes de sair. –o outro lhe disse assim retornou ao quarto.
-Não, está gelada! Não tenho chuveiro elétrico. Melhor você tomar um banho em casa. –ele respondeu, já desejando que aquele estranho, cujo nome já nem mais se lembrava, fosse embora o mais rápido possível.
O outro fez uma cara de poucos amigos mas mesmo assim se levantou e veio em sua direção com os braços abertos, provavelmente esperando um abraço, do qual ele se desviou sem pestenajar. Sentiu nojo. As pessoas tinham cada idéia! Ele já havia feito sua boa ação, já havia transado com aquela criatura que à noite lhe parecera interessante, mas que agora, na luz do dia, apenas lhe causava repulsa.
Sem ter muito o que fazer então, o outro se vestiu rapidamente e pegou o caminho da rua, deixando antes, sobre a cômoda, um papel anotado com seu número de telefone.
-Me liga! –o outro disse.
-Sonha com isso! –ele pensou.
Fechou a porta, deitou na cama, olhou para a camisinha usada no chão, para as roupas largadas, para o copo d’água ao lado do vidro de comprimidos. Levantou, pegou um, tomou junto com a água; tinha de agir antes da dor de cabeça voltar.
E tudo termina exatamente como começou... Um novo dia, uma nova promessa; o mesmo enredo. Ele não tinha jeito, era sempre assim. Será que um dia aprenderia?

---


Sonhei. Levantei cedo naquela manhã, o clima estava frio, ainda era cedo e preferi ficar deitado na minha cama, coberto por uma densa coberta quentinha enquanto a hora de acordar não chegava.
Adormeci novamente e sonhei que tinha acabado de acordar, levantei da cama, um frio na espinha eu senti, corri até o banheiro, e voltei pra cama correndo, deitei embaixo das cobertas, adormeci e sonhei. 
Acordei com o despertador a tocar, ainda sonolento tentei desligá-lo batendo em cima da mesa de cabeceira, até achá-lo, desligá-lo e adormecer sonhando. 
Acorda assustado, toma um banho pra acordar, e no meio ao olhar pela janela percebe que ainda está tudo escuro, então larga o banho, coloca a roupa, e ainda molhado volta a dormir e sonhar.
Acordo assustado, olho pro relógio, e estou atrasado, então levanto correndo, vou até o banheiro, tomo um banho rápido, troco-me e saio, ao sentar no carro percebo que a hora do relógio da minha cabeceira estava errada, então volto, tiro minha roupa ficando só de cueca, deito, durmo e sonho. 
Acordo, sentindo calor embaixo daquelas cobertas, percebo que já está tarde, próximo ao almoço, e eu havia adormecido demais e embalado pela preguiça volto a dormir e tudo termina exatamente como começou, sonhando.

---

Eis nossa primeira experiência com o uso de frases no lugar de temas.
Se ficou bom? Deixamos para que vocês opinem.
E na quarta voltamos com as nossas duas ladies desse blog mandando brasa com seus textos.
Grande abraço.

4 comentários:

Quase Trinta disse...

Autor vc é doente...rs
Não era pra Ruberto publicar??
Que horas vc vez isso????????????????? já que tivemos um final de semana exaustivo?
VC DEFINITIVAMENTE NÃO É NORMAL.

Inês disse...

Eu simplesmente ADOREI isto aqui.

Lis disse...

rsrsrsrsrsrs Eta esta vida do pseudo garanhão tá meio sem graça hein? Tédio msm!! Tem q tomar comprimido pra dor de cabeça,porque preencher o vazio com fast sex dá nisso...
Adorei o comente da Fabi hehehehe
Bjussssssss

Daniel Savio disse...

Ficou interessante...

Apesar de achar que o texto fala sobre a rotina.

Fiquem com Deus, galera.
Um abraço.